quinta-feira, 9 de agosto de 2007

Faça valer a pena

Lembro desta frase de um filme chamado "O resgate do soldado Ryan". Para quem o assistiu, sabe que ele é passível de várias análises, mas enfatizarei duas, em específico, sendo a primeira o título do post. A segunda mora no desenrolar do próprio filme, em que um grupo de soldados se sacrifica para salvar o tal Ryan, inclusive morrendo por ele.

Fazer valer a pena, pela ótica do filme, significa aproveitar uma segunda chance; fazer escolhas sensatas e ter atitudes honradas, que justifiquem o investimento, inclusive de vidas alheias, para que alguém possa ter uma nova chance. Nosso cotidiano não é diferente, porque existem pessoas que se sacrificam em sub-empregos, alguns até pagando com a vida, para que tenhamos as oportunidades que nos são diariamente apresentadas. Alguns, como os pais, se sacrificam de forma subjetiva pelos seus filhos.

Nossa capacidade de escolha nos permite decidir nossos caminhos, sabendo que os mais certos nem sempre são os mais fáceis; talvez por isto façamos tanta coisa errada, por preguiça. Mas seria justo com todos os que nos dão suporte, escolher por desperdiçar esta chance? O único jeito de ser completamente independente é se afastar de qualquer contato humano e morar sozinho, tipo, no meio do deserto; assim a pessoa pode ser totalmente livre. Do contrário, terá obrigações e direitos com os demais à sua volta.

Nunca estamos sozinhos, por mais que nosso coração se sinta vazio! Olhe à sua volta e verá não apenas seres humanos, mas diversas coisas que dependem de você para que possam existir. Não exista apenas, assuma sua parte na engrenagem, o que não implica em ser um parafuso sem importância, pois mesmo os menores parafusos sustentam toda a engrenarem e sua existência tem uma razão de ser, um propósito.

Faça valer a pena! Pense sobre isto! Ter o coração vazio pode significar a certeza de saber que há a possibilidade de se fazer algo grandioso, na consciência de se colocar à margem da rodovia, vendo os carros passarem. Mudando um pouco um dito popular, o pior cego é aquele que acha que o mundo apagou de verdade, não fazendo nada para tentar acender uma luz. Cegos, mudos, insensíveis, brutos e tantas outras enfermidades que criamos como desculpa para não fazer o que nos cabe. E depois? Como iremos encarar a pessoa do espelho quando nossa maturidade e consciência forem mais importantes que a nossa aparência física?

Fazer valer a pena não significa apenas fazer o que lhe cabe, mas ajudar os outros no fardo que lhes compete. Em uma sociedade, assim como em um relacionamento, a queda de uma das partes gera conseqüências diretas e indiretas no todo. Fazer valer a pena, para os egoístas, significa manter seu mundo de tranquilidade, porque nada se sustenta sozinho!

Gandhi não mudou o mundo; Hitler também não. Assim como um personagem que praticamente todos conhecem, que veio com a intenção de nos mostrar que o mundo pode ser melhor, eles deixaram, a seu modo, uma semente de que as coisas podem mudar, tanto para bom quanto para ruim, e que os reflexos de nossos atitudes se propagam pelo tempo, principalmente se alguém nos considerar importante e capazes para fazer acontecer. Faça direito, porque alguém sempre te acompanhará e o tomará como exemplo! Faça valer a pena, porque isto, definitivamente, vale a pena!

4 comentários:

Sarah disse...

"... E que os egoístas e acomodados um dia possam se deparar com esse texto, mas depois de lê-lo façam valer a pena!!!"

alckanso disse...

Todo mundo tem problemas, mas nada justifica simplesmente deixar o tempo passar. Quando deixamos nosso egoísmo de lado e resolvemos olhar o que nos circunda, percebemos que somos muito mais úteis oferecendo ombros amigos do que reclamando dos que não nos oferecem. Mas tudo é uma questão de escolha.

Liliane disse...

Sabe que estou gostando de ler você? :) Estou até pensando em retomar meu antigo blog...

alckanso disse...

humm...pelo visto vou precisar mudar de reflexões para reflexões e inspirações!:) valeu!