Promoções Gearbest

terça-feira, 25 de dezembro de 2018

Família

Eu acredito que tudo existe e foi criado por um motivo, seja lá por quem foi. Não acho que o acaso seja tão acaso assim, e todas as situações pelas quais passamos nos auxiliam a nos encontrarmos no que somos no hoje.

Apesar disso, e para esclarecer dúvidas contrárias a esse meu pensamento, também não tenho como certo que tudo é porque tem que ser e, por assim ser, não possa ser modificado. Como tenho procurado ensinar aos meus filhos, podemos alcançar e realizar qualquer coisa, mas algumas demandarão um trabalho maior.

Mas pensando assim, teríamos que partir do pressuposto de que em tudo temos escolha, ou seja, o livre arbítrio. Como posso acreditar que não há pré determinismo, se sou obrigado a estar em determinada situação?

A família é um desses misteres, porque nascemos nela, aparentemente sem escolha. Vejo duas linhas que me parecem mais lógicas para tentar um entendimento para esse caso. As duas, a meu ver, convergem em uma solução, se não comum, parecida.

No primeiro caso, nós sim escolhemos como e para onde iremos vir, no que tange ao ambiente familiar, sabendo e aceitando as experiências decorrentes dessa nova casa. Mas como esse viés depende de "aceitação" filosófica, teríamos a opção de realmente cairmos de paraquedas, sendo forçados às alegrias e mazelas que virão.

E porque a solução seria a mesma, ou parecida nos dois casos? Porque temos opção de reclamar, não fazer nada, colocar a culpa em alguém, ou agir. E é a ação positiva que nos levará para frente, inclusive, em muitos casos, levando os que estiverem dispostos conosco.

A família é a nossa primeira escola, a nossa primeira profissão e a nossa maior realização ou fracasso. Se você é bem quisto no seu serviço, nas baladas, nos grupos de convívio social, é bem sucedido financeiramente, será realmente bem sucedido?

Eu o motivo a lhe questionar como é sua realização em sua casa, com a sua família. Talvez a tarefa mais difícil da nossa vida seja alcançar o coração daqueles que começaram a jornada conosco, fazendo com que permaneçam nosso Porto seguro.

Trabalhe em si mesmo, e não nos outros, para que tudo à sua volta seja prosperidade, em qualquer lugar e, sobretudo, em sua família. Você conseguirá melhorar o seu ambiente, sem que precise bater de frente com as dificuldades.

A família nos trás o entendimento do amor e do ódio, mas qual iremos escolher? Lembre-se sempre de que ela é sua primeira escola e, como tal, te auxilia a se desenvolver, mas nem por isso se desenvolverá junto com você.

Cresça, desenvolva-se, se possível traga retorno, entendendo suas limitações de alcance nos que o cercam e, por isso mesmo, trazendo serenidade. Essa primeira escola, seja a melhor ou a pior, é a base de tudo o que nos tornaremos, e espero que você se torne a melhor versão de si mesmo.

segunda-feira, 24 de dezembro de 2018

Então é Natal

Quem não souber colocar melodia no título vive dentro de uma caixa, sem contato com o mundo! 😂😂🤣🤣 Ainda não é Natal; oficialmente é amanhã. Mas estou aqui sem fazer nada, de castigo em recuperação de uma cirurgia, então vamos de Natal.

Natal é presente, certo? Mais ou menos. É aniversário de Jesus e tals, mas tem presente e as crianças sempre se lembram dessa parte! Porque? Porque as ensinamos assim! E talvez porque assim tenhamos sido ensinados, então faz parte do movimento da vida.

Mas se não é presente, então o que é? Vamos dizer que seja presença! Então presença é estar presente (trocadilhos da língua portuguesa, mas não é a mesma coisa na literalidade), ou seja, fazer parte da vida de alguém, seja pelo tempo que for.

As pessoas se juntam, se fazem presentes, se enchem de presentes, falam Feliz Natal, assistem o Faustão e o show do Roberto Carlos e.... vão para casa. Mas é isso então o que é Natal?

Lembra das crianças lá nos parágrafos anteriores? Elas aprendem pelo exemplo, como nós também aprendemos. Será que é esse o exemplo que estamos passando? Mas o que tem mais de Natal para ensinarmos?

Sendo aniversário, é alegria por mais um ano. Depois que você comemora o seu, você desaparece da face da Terra e só volta no outro ano? Claro que não. Presença então! Estar presente e ser você o presente onde estiver.

Vamos nos propor um exercício esse ano então! Deixemos de exemplo às crianças a presença. Hoje, no antes, amanhã, no durante, e depois, quando as comidas acabarem, sejamos presentes de Natal. Estejamos presentes na vida delas, dos que nos rodeiam e daqueles que nem conhecemos, com um sorriso, um bom dia, um abraço grátis, compartilhando algo, sobretudo os momentos, bons e ruins.

Mais alguma coisa? Claro! Sejamos presentes em nós mesmos, porque na maior parte do tempo nos esquecemos de nos fazermos companhia. Essa é a pessoa que mais merece ganhar sua presença: você!

Então é Natal! Quando? Todos os dias! Onde? Em todos os lugares em que você estiver!

sábado, 15 de dezembro de 2018

O que realmente importa?

Acabei de ver meu filho tomando leite do Sucrilhos dando aquela beiçada na tigela. Como todo bom pai educado e educador, perguntei a ele se ele sabia o que acontecia com menino que fazia aquilo. Ele ficou com aquela cara de dúvida e de lá vem bronca, para ouvir minha resposta na sequência, temperada com um sorriso "fica forte".

A gente leva a vida tão a sério às vezes que se esquece dessas delícias que curtíamos na infância. Quem nunca andou descalço (ainda ando direto), ou tomou o restinho da sopa com a boca no prato, ou comeu leite em pó ouro na lata, tomou água na torneira (hoje não pode que morre). Parece que a gente cresce e fica besta!

A gente trabalha o dia todo, dá um duro danado, perde os momentos mais importantes das nossas vidas e das vidas dos nossos filhos, país, amigos, e na hora de comer um pedaço de frango com a mão, não pode porque vai parecer grosseiro.

Foda-se! E sim, foda-se se não pode falar foda-se porque o blog é meu, a casa é minha e a vida é minha! Tanta gente assumindo besteiras hoje em dia, que acho justo me permitir as pequenas felicidades da vida.

Se você, amigo leitor, que não parou no parágrafo acima, não tem lembranças de coisas pequenas como as que citei, que muita gente proíbe mas que são legais e que nos trazem pontinhos de felicidade passageira, lamento profundamente! Mas porque não experimentar?

Uma amiga me emprestou um livro uma vez que sugeria fazermos turismo no próprio bairro. Há inúmeras pessoas para se conhecer, lugares não vistos e aproveitados. A mesma coisa serve para a sua rotina, a sua casa, a sua família.

Se você costuma falar com seu filho em pé, experimente se sentar no chão na frente dele. Tente lamber a tampa do iogurte, tomar suco ou até cerveja na boca da garrafa, tomar o restinho da sopa com a boca no prato.

Da mesma forma que recomendei ao pequeno, não faça isso com pessoas em volta, porque elas são certas demais para entender; mesmo não sendo. Mas faça, como se criança ainda fosse, pois a elas tudo deveria ser permitido.

Quando é a hora de para de aprender, de experimentar? Nunca! Então o que realmente importa nessa vida? Simples! É viver a vida! Viva então, porque uma hora a tia do guichê grita esse número que você segura nas mãos, e será a hora de você partir, sem ter como remarcar a viagem!!

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

Mudanças de novo

Estava pesquisando o arquivo do blog e achei dois textos com o título "Mudanças", então simplesmente não dá para colocar de novo. Assim sendo, vai mudanças de novo. Nem sei o conteúdo dos outros dois; quem sabe um dia volto lá para fazer um, como se diz hoje em dia, #tbt.

Fiquei pensando ontem, enquanto esperava nos minutos intermináveis da espera pela consulta médica, o que eu poderia incrementar aqui, o que mudar, o que melhorar. Tentei mudar o layout do blog e voltei acho que se não o mesmo, algo parecido. Mudei umas caixinhas de lugar, mas nada significativo.

Sou eu que não sei mexer, a ferramenta é limitada, ou qualquer martelo é ruim para quem não sabe bater no prego direito? Talvez um pouco de cada. Acho que não fiz isso ainda, então vou empreender uma mudança, aliás, talvez algumas.

A primeira, acho que o texto vai ficar mais curto. A segunda, parágrafos menores. E por último, que tal me dar sugestões? Não são tantos seguidores aqui, mas com certeza valorosos e formadores de opinião. Desafio-os a formar a minha, para que possamos reconstruir o layout juntos.

O que ficaria melhor? Uma cor mais clara? Fotos? Videos?

Aguardo você nos comentários!!!