Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2021

Respire

Você já respirou hoje? Estou aqui dando risada, porque provavelmente você deve ter me chamado de louco, porque é óbvio que respirou, porque senão, estaria morto. Espere. Quer dizer que se você parar de respirar vai morrer? Deixa eu te contar uma coisa, que talvez você saiba, talvez não. Você não consegue, por vontade própria, ficar sem respirar. É uma função tão importante, que vai chegar a um ponto que seu corpo talvez até te desligue, para assumir o controle e forçar você a respirar de novo. Mas, então, não é uma pergunta tão besta assim, certo? Algo que é tão importante assim, não pode ser deixado de lado, como se não fosse nada, como se fosse loucura; mas a verdade é que muitos de nós, se não todos, esquecemos de respirar. Não estou me referindo aqui ao simples ato mecânico de puxar o ar, que fazemos involuntariamente. Analise que, essa ação, nos permite puxar ar novo, oferecer oxigênio para órgãos importantes, como cérebro e coração, e tornar possível todo o resto. Essa simples at

O estranho

Já parou para analisar o quanto a gente não se conhece a si mesmo, contrário àquela famosa orientação? Me lembrei de uma frase: "Quer conhecer um homem, dê poder a ele". Pesquisei a origem dessa frase, para não deixar em branco, mas a internet não chegou a um consenso. Vou aproveitar para deixar uma recomendação de um livro importante: independente da origem, procure analisar o conteúdo, para decidir se ele pode ser considerado como um ensinamento de valor.  Eu diria que, quer conhecer um homem, coloque-o em uma situação em que ele não tenha controle externo (ter poder, de uma certa forma, seria algo assim). Nesse ponto é que me referi no começo, sobre o quanto não nos conhecemos. De forma geral, seja em casa, no trabalho, na sociedade, em quase todos os lugares, existem freios. Existem barreiras para que não sejamos nós mesmos na nossa essência. Existem momentos, às vezes curtos, outros nem tanto, em que recebemos a carta de alforria para criar, com toda a nossa capacidade.

Quem é você?

 Se eu te perguntasse "quem é você?", o que você me responderia? Aliás, o que responderia a si mesmo? É provável que irão surgir respostas como: eu sou médico, eu sou cantor, eu sou homem, eu sou mulher, eu sou <o seu nome>, ou quem sabe você vai fazer referência a bens materiais que você adquiriu ao longo da vida. Mas, sério, quem é você? Ao longo da vida tenho me construído e desconstruído, tentando entender meus sentimentos e pensamentos, e o porquê eu olho as coisas como olho, ou olhava. Tomei atitudes equivocadas, ou acertadas, muitas vezes com base nas opiniões e visões externas, sem perceber tentando me responder: quem sou eu? Percebi que muitas vezes eu estava sendo o outro, não eu. Sua profissão te define? Sua religião, seu dinheiro, seu carro, sua posse, seu corpo, sua calvície, altura, peso? Quem é você, no meio dessa viagem visual, em que tudo a que nos referimos precisa de algo palpável para ser definido? E uma vez fui questionado, se eu fosse ser represent