Quem é você?

 Se eu te perguntasse "quem é você?", o que você me responderia? Aliás, o que responderia a si mesmo? É provável que irão surgir respostas como: eu sou médico, eu sou cantor, eu sou homem, eu sou mulher, eu sou <o seu nome>, ou quem sabe você vai fazer referência a bens materiais que você adquiriu ao longo da vida.

Mas, sério, quem é você? Ao longo da vida tenho me construído e desconstruído, tentando entender meus sentimentos e pensamentos, e o porquê eu olho as coisas como olho, ou olhava. Tomei atitudes equivocadas, ou acertadas, muitas vezes com base nas opiniões e visões externas, sem perceber tentando me responder: quem sou eu? Percebi que muitas vezes eu estava sendo o outro, não eu.

Sua profissão te define? Sua religião, seu dinheiro, seu carro, sua posse, seu corpo, sua calvície, altura, peso? Quem é você, no meio dessa viagem visual, em que tudo a que nos referimos precisa de algo palpável para ser definido?

E uma vez fui questionado, se eu fosse ser representado, qual seria a figura a me representar. E eu percebi que não conseguia dar uma resposta simples. Mas, ao mesmo tempo, tenho certeza de que não sou o que você pensa de mim, porque você não me conhece na minha integralidade, e talvez por isso eu sempre tenha fugido dos divãs, porque é uma vida de análise, para analisar o que venho analisando.

Percebi, e assim respondi a essa pergunta, que, no conjunto do pai, filho, amigo, inimigo, profissional, pensador e tantas outras facetas, existe um eu, muito mais simples e complexo do que a maioria das pessoas daria conta de se aprofundar, do que eu mesmo dou conta de entender muita vezes.

Mas, imagino, talvez até agora eu apenas tenha lhe confundido, porque não dei caminhos para que a sua resposta venha, como acho que é o padrão das comunicações por aí. Então eu vou lhe dar o único caminho que sei, e que tenho usado, e que, como parte dessa ação, surgiram tantos textos nesse blog.

Sente-se consigo mesmo e se enxergue, verdadeiramente, sem filtros. Está bem, vou usar uma frase mais conhecida para ser talvez mais claro: "Conhece-te a ti mesmo". Uma frase tão simples e tão profunda, como uma outra que gosto muito "Só sei que nada sei".

Então é isso. Autoconhecimento é a chave! E aí você vai entender que a pergunta do título, no final das contas, não é o que mais importa. Mas eu vou deixar a você a descoberta desta parte!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Faça valer a pena

Força interior

Para as minhas mães!