Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2008

O NOVO.. MEU NOVO..

O novo acontece de repente! Basta você saber olhar e admirar com simplicidade! Basta ter a sutileza nas palavras, basta ter a sensibilidade de perceber que a vida passa e se não dermos o devido valor em nós mesmos, nos tornamos sombras e muitas pessoas especiais também passarão despercebidas.

A vida é simples.. e cada dia que passa se torna um novo dia.. conhecemos novas pessoas.. temos novas oportunidades.. novos amigos e novos amores!

Amores velhos e desgastados se vão.. e novos vêm.. não por acaso, pois cada um que passa por nossa vida é de certa forma especial e contribuíram para nosso crescimento.. Mas o que é para ser velho.. passa.. e torna-se apenas lembrança! Velhas lembranças dão experiência e sabedoria para a concretização de um novo amor!

Você é meu novo!


★ Minha sintonia perfeita.. meu amor! ★

Escrito por Larissa de Araújo Almeida.

Cabelos

Sinta o aroma, sua textura, o brilho que encanta e hipnotiza. Sinta! Deixe-se envolver pela sua graça, pelo poder que nos imobiliza em pensamentos indecifráveis, como uma criança que se encanta mil vezes com a mesma maravilha. Indecifrável! Permita-se deixar levar pela agradável sensação de não ter controle sobre suas emoções, inerte diante de tanta beleza. Permita-se!

Não há padrões, não existem formas perfeitas, apenas são, como são, e encantam pela naturalidade com que se permitem ser, iluminando a todos à sua volta, como o sol que nos aquece e que nos permite sonhar. Não há! Há, sim, a certeza de que precisam ser como são, aceitarem-se em sua beleza íntima, porque apesar de terem várias roupas, vários brilhos, encantam em seu esplendor máximo assim como são, simples, delicados, puros na essência. E, assim, com certeza há!

Os cabelos, longe do que pregam os padrões, têm que ser diversos, belos, sem belezas externas, porque só assim o são, como são; mas, para que padrões? Limitar pare…

Olhar interior

Quando criança, eu via determinadas coisas que não vejo mais, porque eu mudei. Hoje vejo algumas coisas e, mais importante, as compreendo, mas antigamente não era assim. Não houve mudança alguma nos meus olhos, que continuam os mesmos, mas o tempo trouxe ao interior uma compreensão diferente das coisas; nem maior, nem menor, apenas distinta do que já foi um dia.

Somos todos assim, com percepções exteriores que não passam de reflexos do que vai por dentro, que se modifica constantemente, pela maturidade acumulada, pelo ânimo temporário, pelos sentimentos que vão no coração. Transmutações do que nos controla, cujas impressões precisam ser controladas, porque nem sempre são compartilhadas pelos outros.

Assim se faz um relacionamento, com adequação mútua das visões internas, para que não haja incompreensão pela forma como são vistos os mesmos quadros, sob o mesmo ângulo, mas com encantamentos distintos. E somos preconceituosos, acima de tudo, porque a nossa forma de ver as coisas é sempre a…

Suas barreiras: você!

Existe um conto que circula na Internet sobre uma empresa que em determinado dia resolve fazer o velório da "pessoa que estava atrapalhando o seu crescimento". Coloca informativos à respeito do velório e forma-se uma fila de funcionários para ver o "morto". Ao olhar para o caixão os funcionários saem atônitos, ao verem sua própria imagem refletida no espelho.

Vivemos em um mundo em que quase todos aceitam tudo sem reclamar, de relacionamentos amputados a empregos que matam sonhos. Estamos nos condenando a cada dia a uma vida sem realizações, porque estas precisam gerar alegria nos corações, e não apenas dinheiro no bolso. Um dia a velhice nos alcançará e seremos mais do que moedas de ouro; seremos o que fizemos de nossos dias produtivos, cercados ou não de recompensas de sentimentos.

Não é preciso que seja sempre assim, um mar de decepções, bastando que nos transformemos em construtores de relacionamentos afetivos, preocupando-nos com todas as partes envolvidas. Quan…

Fortaleza interior

Busque dentro de si mesmo e encontrará toda a força de que precisa! Soa como início de texto ou livro de auto-ajuda mas tem fundo de verdade. Alias, auto-ajuda, deixando de lado o cunho pejorativo do termo, nada mais é do que entender que nós temos as ferramentas necessárias para conseguirmos o que desejamos e, muito ao contrário do que muitos acreditam, sabemos usá-las; apenas não temos a coragem ou o estímulo necessário para tal.

Em várias situações nos surpreendemos a nós mesmos e aos outros. Alcançamos feitos inimagináveis, dos mais simples aos mais complexos, como dar um oi a uma pessoa amada ou inventar a cura para uma doença da humanidade. As barreiras são múltiplas e de intensidades distintas, simplesmente porque não são materiais, mas criadas de acordo com o íntimo de cada um, gerando medos particulares com conseqüências coletivas.

Fortaleza é algo que remete à idéia de uma carapaça, de uma proteção contra os ataques externos, mas não precisa ser assim. No nosso dia a dia, se n…

A arte de se conhecer

De acordo com a wikipédia, o termo arte vem do latin "ars" significando técnica ou habilidade. De acordo com eu mesmo e de tudo que venho aprendendo durante 29 anos dessa existência, conhecer significa aprender de forma teórica e prática; mas não assumo esta definição de forma absoluta e irrefutável. A arte de se conhecer, como título sugerido por uma amiga, remete, pois, à idéia sobre o desenvolvimento de habilidades que nos permitam entender de forma profunda sobre nós mesmos.

Parece-me meio teórico demais, ou complexo demais; sim, e muito mais que isto. A teoria precede a prática, pelo menos quando existe a preocupação com um final proveitoso. A prática que antecede a teoria, é repleta de realizações desastrosas, pois as quedas não podem ser evitadas, visto serem parte integrante do aprendizado. É claro que quando se conhece sobre um determinado assunto erros também são cometidos, mas erros em momentos mais complexos, em fases mais adiantadas do processo.

Conhecer-se a si m…