Por Você

 O Barão Vermelho tem uma música com esse nome, que em épocas passadas eu cheguei a decorar, mas que somente hoje pensei em associar a outro viés. Pela interpretação mais simples da letra, poderíamos alterar para "pelo outro", mas hoje olho-a com o viés de "por mim".

Interessante o quanto passamos a vida fazendo pelo outro, fazendo, deixando de fazer e nos mudando em prol da felicidade alheia, assumindo a realização do outro como se fosse nossa. Que engano! Hoje entendo que, estando feliz, posso fazer muito mais felizes os que me rodeiam. Tendo, posso compartilhar o que tenho, seja material, emocional, psicológico.

Mas nem sempre tive essa visão, e, por incrível que pareça, não nos ensinam isso em casa ou na escola. Somos educados para sermos engrenagem da máquina já em funcionamento, sem o esclarecimento de que podemos ser máquinas únicas, fazendo segundo a nossa vocação.

O plantio é opcional, porém a colheita é obrigatória. E essa frase contém uma pegadinha, pois não nos esclarece que, mesmo não plantando, sempre o estaremos. E a colheita, obrigatória em seu resultado, será fruto das nossa ações e ócios, resultado certo das nossas escolhas, mesmo que escolhamos a inércia, nos diversos setores das nossas vidas.

Hoje entendo que, se faço, se não faço, se ganho, ou se deixo de ganhar, todos à minha volta vão por certo compartilhar das minhas condições, porém eu serei o primeiro afetado. Talvez se soubesse disso antes, teria feito mais, estudado mais, amado mais, viajado mais, tudo mais.

Mas nunca é tarde para se começar, certo? Certo, por certo, porém nunca se esqueça de que a colheita é obrigatória, e, se antes havia colhido pouco, pois pouco tempo havia se passado, com o tempo podem estar no seu embornal diversas ervas daninhas colhidas pelo caminho. Aí reside um segredo também não muito explorado: Se não fizer hoje, poderá fazer amanhã, mas não sem um esforço dobrado.

Haverá espaço para fazer quase tudo, pois o tudo será podado pelas limitações do tempo, mas o esforço empreendido no hoje será maior do que no ontem, caso ainda não tenha feito nada, porque além de fazer, terá que cuidar das suas colheitas passadas, ajeitar um cantinho para elas, fazer a poda, ou mesmo trabalhar para extirpar o que não for mais necessário nessa sua nova fase.

Por você "eu aceitaria a vida como ela é". A gratidão faz parte desse caminho, onde o por você aparece mais forte do que nunca a cada dia, olhando-se no espelho, cobrando ações para que tudo de melhor venha, pois é certo que vai vir, porque, se plantar direitinho hoje, a colheita é obrigatória, e por certo, será melhor amanhã.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Faça valer a pena

Força interior

Para as minhas mães!