terça-feira, 15 de julho de 2008

Construção de sonhos

Vou confessar: tentei vários inícios para esse texto, mas não achei nenhuma idéia que fosse sensacional e merecesse ser colocada aqui. Então vou partir para algo mais impessoal, porque assim fica mais fácil expor a idéia que realmente desejo colocar. Afinal de contas, quando se detalha demais algo, corre-se o risco de tornar-se incompreensível.

É comum falarmos sobre sonhos quando dormimos, mas não é a isto que me refiro. Outra utilização comum está ligada aos nossos anseios, projetos, visões, desejos pessoais ou conjuntos de ter, realizar ou ser algo ou alguém. Isto sim é interessante para ser analisado, porque apesar de parecer algo extremamente complexo, não passa de uma consequência de auto-conhecimento.

Pesquise sobre grandes nomes da História e existirá algo em comum: eles acreditavam nas suas próprias idéias e, sobretudo, em si próprios. Ter confiança em si mesmo não é algo simples, porque infelizmente somos ensinados a aceitar as coisas como são, respeitando o padrão da sociedade. Mas o que é certo e o que é errado?

Certo e errado são idéias criadas pelos homens, que mudam de acordo com a compreensão que passam a ter sobre as coisas da natureza. Os certos se modificam, à medida que o ser humano adquire maturidade, conhecimentos científicos e, principalmente, evolução moral. Partindo disto, chega-se a uma conclusão simples de que, na prática, não há verdades absolutas.

Porque então aceitar a idéia de que algo é impossível? Porque então acreditar que sonhos são apenas sonhos inalcançáveis, sem possibilidade de concretização? Sonhos são, primeiramente, projetos, e como tal devem ser tratados. Projetos precisam de organização, trabalho, objetivo e atividades de correção, até que o produto final apareça.

Contruir sonhos passa pela fase de se convencer de que o mundo não é ruim como muitos pintam. Posteriormente, é preciso colocar idéias em prática, de forma organizada. Lutar e trabalhar por objetivos é fundamental, porque nada se consegue sem esforço. E depois é só colher os frutos, dos sonhos já realizados.

Parece meio mecânico? Controlado demais? Claro, porque os sonhos são, acima de tudo, algo que empolga nossa imaginação. Portanto, além de tudo o que já foi dito, é preciso sentir, antes, durante e depois, porque somos seres humanos, humanos, não apenas seres, cujos sonhos, mais do que realizações, precisam ser aceitos, verdadeiramente, como sonhos a serem realizados.

Nenhum comentário: