segunda-feira, 25 de junho de 2018

A arte de manter a calma

Nem sempre as coisas dão certo nas 24 horas do dia. Nem sempre as coisas parecem estar dando certo durante a nossa trajetória. Nem sempre os caminhos parecem surgir lindos e maravilhosos, cheios de lugares para descanso, água limpa, pessoas agradáveis e muita auto disposição para uma caminhada ao ar livre. Dizem que a única certeza é que algo pode dar errado e aí inventaram um termo bonito: gerenciamento de risco. Nada mais é do que prever todas as falhas possíveis e se preparar para elas. Como ganho, prever também tudo o que pode dar certo, para poder maximizar as coisas boas.

Quem nunca se preparou para uma prova e na hora teve o famoso "branco", não sabe o que é desespero! Antes que me condenem, sim, tem muita coisa que gera desespero e esse exemplo foi apenas ilustrativo; voltemos ao pensamento. Você estudou, se preparou, se alimentou direito, fez exercícios (físicos e sobre a matéria), mas na hora de colocar em prática ficou tão nervoso que tudo foi por água abaixo. Já me perguntaram, em situações difíceis, como eu estava dando conta. A resposta foi simples: não tenho outra opção. Nas horas em que não vemos opção, senão a de seguir em frente, é que as coisas ficam mais claras e a calma nos toma o ser, tornando simples tomar uma decisão que para todas as outras pessoas parece impossível.

Não me lembro de ver casos de sucesso em que o ator do problema tenha se descabelado a ponto de não saber o que fazer. Na grande maioria dos casos, para não dizer na totalidade, os relatos são de serenidade, mesmo diante de pressão. Lembro-se de um professor de faculdade que nos recomendou "espanarmos a rosca". Explicou ele, diante da perplexidade da turma, que quando se aperta um parafuso, em um determinado momento não dá mais aperto, mas se continuarmos apertando ele espanará a rosca, girando em falso e, mesmo após aumentar a pressão, ele permanecerá do mesmo jeito. Ou seja, temos que aprender a lidar com as situações de pressão, sem nos alterarmos, para que possamos tomar as decisões com inteligência, razão, ou sei lá, só com calma mesmo.

Mas como desenvolver isso? Acho que não há mágicas, pois cada um somos de um jeito. Mas há recomendações populares, que acho que podem nos ajudar; pelo menos algumas eu já consegui colocar em prática e a melhoria foi significativa. Começo com uma que eu não consegui ainda utilizar, que é a meditação. Ela permite colocar os pensamentos em linha, ver as coisas com mais clareza e acalmar o seu interior. Ter uma alimentação boa, fazer exercícios, ter momentos de lazer, ter um hobbie, sem se esquecer de se preparar (como ter calma com algo que precisa ser feito mas que você não domina?). É preciso estar preparado quando as oportunidades aparecem, e isso sim é ter sorte. Nesse momento ideal, de preparação com oportunidade, a realização acontecerá com naturalidade e as causas do desespero serão bem menores.

Mas há uma recomendação, ou uma observação que me foi feita há um tempo, que carrego como mantra, por assim dizer. Em meio à correria do trabalho, a observação paterna veio de encontro como luz de socorro: "filho, reveja como está lidando com as coisas, porque se você sair da empresa, outro ocupará o seu lugar, mas se você faltar em casa, ninguém o substituirá". Tenho por certo que devemos sempre evoluir os ensinamentos dos nossos pais, e hoje digo que sim, se você faltar será substituído, porque a vida continua. Então o importante na correria do dia a dia, seja ela em que ambiente for, é entender que você precisa aproveitar o agora, realizar suas realizações, e se faltar algo para amanhã, que seja feito amanhã.

Você não vai morrer se deixar de entregar um relatório, se perder um romance, se deixar de ficar rico, se não passar naquela prova ou se deixar de ter alguma posse material. Você não vai ser melhor ou pior se entregar tudo o que precisa ser feito hoje, simplesmente porque amanhã terá mais, e isso é fato! Mas uma coisa é certa: você vai deixar de viver as oportunidades e vai deixar muitas passarem se não tiver a calma e o entendimento do equilíbrio. É preciso cuidar primeiro de si mesmo, e após isso, cuidar do seu hobbie, do seu trabalho, da sua família e dos seus amigos, do seu projeto de vida e do seu aprendizado; tudo um pouco de cada, aproveitando o melhor de cada oportunidade.

Claro que um milhão de reais à mais pode parecer a solução dos problemas, então vamos correr atrás do trabalho. Mas se você não tiver tempo para as coisas e pessoas que gosta, ou mesmo gastar a sua saúde nisso, será que vale à pena? Eu acho que não e essa opinião é minha. Talvez de mais trabalho, materialmente falando, talvez não. Mas isso lhe dará a calma para tomar decisões e a tranquilidade para entender que se algo está negativo, com um pouco de esforço você com certeza vai dar a volta por cima.

Mantenha a calma! Se você tem um problema e ele tem solução, então não há porque se desesperar. Se ele não tem solução, essa é a solução; porque se desesperar? Mantenha a calma para achar outros caminhos, outros trabalhos, outros amores ou mesmo outra solução que você não tenha visto. Porque mais importante do que conquistar, é curtir a conquista, com a calma e a tranquilidade de uma criança, que brinca sem ter problemas, não porque eles não existam, mas porque para ela, o importante é brincar.

Nenhum comentário: