quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Meu presente

Mais um ano vai, mais um ano vem, é só nois na fita e mais ninguém! Sobrevivi a mais um ano, com cabelos, sem muita barriga e as contas vão bem, obrigado. Ganhei uma carteira (continua vazia), algumas camisetas, um sapato e vários sorrisos amigos, que vem me acompanhando ao longo dos anos, graças a Deus.

Um presente, todavia, me encantou em especial. Palavras escritas com atenção, com intenção e com intensidade. Olhos marejados ao proferir uma prece, em um momento não único, mas primeiro de integração. O meu presente, você presente. Em diversos momentos me perguntei se isso aconteceria, e se aconteceria com você.

Nas dificuldades da nossa curta jornada, somente a nós cabe o conhecimento dos degraus já engatinhados. Nas complexidades do dia a dia, em tarefas simples, em que suspiros escondidos de insatisfação substituiem reclamações abertas, cabe somente a nós a tristeza e a alegria de sermos quem somos.

Mas foi lindo, tudo lindo. Um bolo de bombons, um vinho sem muito doce, um ser maravilhoso. Alias, dois. Meu presente, você presente. Possa ser que você nunca entenda meus meios, meus métodos, meus sentimentos e minhas reclamações. Até então poucas vezes senti que o meu silêncio durante as refeições fosse por você meramente aceito, mas nem tudo são flores, no vaso florido da vida a dois.

Detalhes à parte, há coisas sem preço. Não que não possam ser precificadas, o fato é que seria uma afronta, um verdadeiro desrespeito mensurar coisas que precisam ser sentidas, e não vistas. Somos o que somos, e aos que nos rodeiam cabe a aceitação ou não. Simples assim. Eu a tenho aceito, e a recíproca parece ser verdadeira mas, e ai?

E ai que tenho meu presente, você presente. Aniversários são datas comuns para mim, porque são dias como outros. O que mudam os dias não são os nomes especiais que a eles atribuímos, mas as realizações especiais que fazemos ao vivê-los. O de ontem não começou muito bem, mas terminou digno de um rei, não cheio de ouro, mas aquele rei simples, que veio entre nós para entender e ser entendido, para oferecer conhecimento, e compreensão.

O tempo passou, e já não é mais ontem. O ontem morre a cada dia, e o futuro deixa de ser futuro, a cada novo amanhecer. Você, entretanto, hoje é meu presente, dia após dia, e nisso reside minha felicidade nessa data, pós data, e continuamente, você presente, meu presente.