quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Saudades da infância

Poxa! Estou aqui pensando na vida e me bateu uma saudade da minha infância! Acho que todo mundo já pronunciou essa frase: "eu era feliz e não sabia". Pense bem, e volte um pouco no tempo, pois cada um, a seu modo, poderá se lembrar de algo, e, quem sabe, acrescentar algo ao texto. A infância é uma época danada de boa, quando não precisamos nos preocupar com contas, compromissos, trabalho e tudo o mais que vem de brinde com a tão esperada maturidade.

Chuva? Não era na época motivo para se esconder dentro do carro ou embaixo de um guarda chuva! Ao contrário, eu sairia correndo, brincando de coisas simples, como corrida de caixinhas de fósforo nas enxurradas. Sujeira? Ah! Fale sério! Qual seria a graça em sair por ai bagunçando, sem se sujar um pouco? Hoje seríamos julgados pela aparência.

E as brincadeiras que deixamos para trás, como pique esconde, pular corda, amarelinha, andar de bicicleta e por aí vai. Acho que hoje muitas crianças devem substituir isso por um computador, na imensa emoção de sentir o vento batendo na cara (aquele que vem do ar condicionado). Não era tudo perfeito, mas era divertido pelo menos.

Hoje eu fico pensando como somos bobos na infância, querendo ter carteira dirigir, ser grande para sair por aí na hora em que quisermos. Acho que se eu soubesse que a diversão iria embora, junto com a maturidade, ou pelo menos uma parte dela, eu teria tentado ser peter pan; e hoje o entendo!

Mas nem tudo são flores, e nem tudo são espinhos. A ignorância infantil nos permite absorver conhecimentos que seriam ignorados, não fosse a falta de experiência. Da mesma forma, a maturidade nos permite aproveitar os conhecimentos adquiridos, o que não seria possível com "cabeça de ovo".

Saudades à parte, estou feliz por tudo o que conquistei e conquistamos. Comparo a vida de hoje com o que foi há séculos e vejo como tudo é mais fácil. Agora nos cabe aproveitar, brincar a vida e fazê-la melhor, para que as futuras gerações possam ter uma saudade da infância como essa, na consciência de que tudo melhorou!

Nenhum comentário: