segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Ser eu

Como é dificil sermos nós! Quanto mais conheço a mim mesmo e as pessoas, mais admiro o gato da minha irmã, que fica de boa o dia inteiro e ainda ganha comida e carinho. Somos uma raça em evolução, e que precisa evoluir muito. Já parou para pensar o quanto, em geral, ainda somos imperfeitos?

Uma vez li em algum lugar que, sob uma ótica espiritualista, a Terra é um dos planetas mais atrasados na escala evolutiva. Diante disso, como cada um merece o que tem, os habitantes desse planeta também precisam evoluir muito, pois seria contraditório pensar, como muitos pensam, que estamos muito próximos da perfeição, ainda com tanta coisa para ser desenvolvida.

Somos evoluídos, somos sim! Temos naves espaciais, telefones celulares, computadores de última geração que pensam mais rápido do que milhares de nós juntos. Mas e a moral? Onde ficou nessa história? Perdeu-se com o tempo? Ou nem sequer existiu um dia? A minha existe em partes, conforme minha conveniência, e acho que todos somos assim. Um dia aprendi que é melhor ensinar o certo, mesmo não conseguindo fazê-lo, mas isso tem restrições, não servindo para tudo.

Mas tente ser eu, enquanto eu tento ser você! Empatia é uma palavra muito linda, dificil entretanto de colocar em prática. Se fosse o contrário, viveríamos sorridentes, amando-nos uns aos outros, assim como eu vos teria amado. É algo semelhante a uma história de um cara cabeludo e barbudo, que muito bem poderia ter sido careca e barrigudo, pois a ideologia e os ensinamentos foram belos, qual fosse a casca.

E minha casca? É linda, praticamente perfeita, aos olhos da minha mãe, pelo menos, mas o interior precisa de cuidados, precisa de atenção, de carinho, precisa de você! Não desista de ser eu, enquanto eu não desisto de ser você, porque ninguém disse que seria fácil. Hoje eu sei que não somos apenas o que fizemos de nós após tantas escolhas boas e ruins. Hoje eu sei que somos o que estamos sendo também, e o que estamos nos vendo que podemos ser, dependendo, neste caso, do quanto somos hoje para sermos amanhã.

Parece complicado, mas nada mais é do que nos olharmos, exterior e interiormente, e entender que temos muito a melhorar, e podemos, e somos capazes. Só não esqueça de ficar feliz pelas conquistas, pelas melhorias, pelas vitórias de cada dia porque, afinal de contas, se você conseguiu cozinhar um arroz delicioso, é porque você conseguiu aprender alguma coisa a mais, que lhe permitiu ser, mais um pouco, o seu eu.