sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Processo de contenção de idéias

Bom dia. Resolvi responder um comentário com um post novo, já servindo para movimentar esta casa cheia de teias. Dentro do propósito deste "projeto pessoal", acho que isto se torna mais edificante do que uma simples resposta a um comentário pertinente.

Parece-me contraditório escrever sobre um "processo de contenção de idéias" em um lugar que se propõe a estimulá-las, mas, afinal de contas, a análise do comportamento humano não pode se restringir aos momentos felizes ou aos de sucesso. A História, inclusive, já nos mostrou que as tragédias são férteis para a geração das mais diversas obras de arte.

Mas, pensando assim, não se tem, então, um processo de contenção, mas de estímulo. Certo pensar assim, pois que o ser humano tem, em sua essência, o poder e as ferramentas para prover a criação de toda sorte de invenções, em seu benefício ou de outrem. Passamos, pois, por fases, tal qual a lagarta que se isola em seu casulo, para permitir que surja a beleza do bater de asas de uma borboleta.

Assim me encontro, em um dos meus altos e baixos de movimentação constante, em que alegram-me determinadas conquistas, enquanto trabalho arduamennte pela sustentação destas mesmas e para a edificação de novas, caminhando por degraus de conquistas diárias, que estimulam minha alma, mas sugam minhas energias materiais, tornando necessária a fuga temporária de determinadas atividades.

Queria eu ter uma vitalidade infinita, potencializada, sempre no ápice, em todos os momentos. Não sou assim. Preciso, ainda no estágio em que me encontro, de momentos de relaxamento, férteis estímulos ao meu pensamento, em que faço balanço das derrotas e vitórias, procurando entender que os suores aparentemente despejados em vão, são os mesmos que serão analisados futuramente como os degraus imperativos para alcancar os altares em que me encontrarei.

Processo de contenção de idéias; não, e não também aos motivos sabíveis e cabíveis, direcionados por um olhar parco e rápido, de uma coisa mais complexa do que se pode imaginar, cuja extensão ainda não nos é perceptível. Mas não também para a complexidade, pois que prego a simplicidade da existência, seja no pensar como no agir, nessa nossa vida em que todos somente querem ter.

Contenho-me agora, aguardando e trabalhando pela explosão de tudo o que posso ser. Aos meus incentivadores, aos meus impulsionadores, notadamente pelas suas críticas, meus agradecimentos. Convoco-os para um acompanhamento de mim, disto e de si próprios, pois que os momentos por mim utilizados para reflexões não são somente meus, assim como não apenas eu os posso ter. Sejamos críticos de nós mesmos, porque, como me disseram um dia, para alcançar o próximo passo, é preciso deixar de lado a nossa zona de conforto.

Nenhum comentário: