quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

Preparo

Conheci uma pessoa que adorava a seguinte colocação: "Deus não escolhe os preparados, prepara os escolhidos". Preparo é algo muito relativo, quando nos propomos a olhar à nossa volta com uma visão mais ampla, destituídos principalmente de orgulho, entendendo nossas limitações.

Sempre ouvi que é preciso preparar-se para o futuro; mas como estar pronto para algo tão vago? Não dá para escolher o desenvolvimento completo, pois faltaria tempo e recursos necessários para completar a tarefa satisfatoriamente. Podemos, pois, tentar advinhar o futuro, escolhendo os melhores caminhos e trilhando os esforços para alcançar os resultados mais prováveis.

Quando se fala de preparo profissional, não se consegue um curso formal satisfatório por menos que alguns vários meses, talvez anos. Mas algumas coisas não são ensinadas na escola, como estar pronto para ser pai ou mãe, ou então como agir frente a uma derrota. A humildade nos mostra que, nessas situações, mais do que títulos, precisamos de atitudes e de postura, o que só a maturidade nos dá.

Curiosamente, no decorrer dessas letras a energia resolveu tirar alguns minutos de descanso. Fiquei refletindo sobre o próprio texto, sobre tomar decisões quando ocorrem coisas inesperadas. Neste caso o próprio sistema salvou um rascunho, o que nem sempre acontece. Quando não há como continuar, é preciso entender que algumas coisas se vão, o que não nos impede de começar de novo ou seguir para novos rumos.

Inesperadas são as coisas, notadamente aquelas para as quais não nos achamos prontos, ou que achamos ruins. A gravidez inesperada, assim como um desemprego que não fazia parte dos planos originais, nos coloca em situações em que todas as nossas crenças são colocadas em xeque. Precisamos nessas horas, acima de tudo, de tranquilidade e resignação para refletir e, assim, chegar à conclusão de que não foram situações tão inesperadas assim.

Tudo o que fazemos oferece algum tipo de resultado, bom ou ruim, e nos dá uma experiência nova. Todas as vivências que acumulamos acabam por nos dar preparo amplo, de aplicações diversas, tornando-nos melhores. Justamente por isto sempre me incomodou nos anúncios de emprego a parte sobre experiência, pois é algo muito subjetivo.

É preciso entender que, ao contrário do que nos cabe nos momentos de glórias, não estamos sempre preparados. Existem coisas demais para vivenciarmos e muitas interpéries a serem superadas. O máximo que podemos chegar quando se objetiva o preparo é um estado melhor a cada dia, na certeza de que hoje somos melhores do que ontem. Mas assim como é preciso ter humildade para entender que não seremos perfeitos por enquanto, é preciso ser lógico e racional, para aceitar que não precisamos ser.

Existem vários caminhos, e nem todo mundo quer sempre as mesmas coisas. Reflita sobre o que você quer, o que é importante para você, pois isto determinará o que falta para completar o seu estágio preparatório. Assim, otimizando seus recursos, você conseguirá chegar ao topo, mas não aquele que o seu vizinho almeja, mas sim o que o tornará feliz, mesmo que aos olhos dos outros pareça simplório, pois a simplicidade carrega detalhes que na maioria das vezes passam despercebidos aos olhos daqueles que estão ocupados demais buscando realizar os sonhos alheios.

Um comentário:

Sarah disse...

Você está cada vez melhor. Mas agradeço em especial por este texto de hj.
E a forma como imortalizou o "acaso da energia" foi fantástica!
Parabéns!!!