sábado, 3 de novembro de 2007

Oi

Às vezes me admira a complexidade das coisas simples. Um termo de duas letras, por exemplo, pode significar tanta coisa, como um simples "oi". Quer dizer um cumprimento, um início de conversa ou um pedido de atenção. E isto desconsiderando situações e contato visual, pois, nestes casos, o contexto acresce muitos detalhes que não podem nunca serem deixados de lado.

Para uma análise meio vazia, mas não é, principalmente porque hoje em dia finalmente chegou-se à compreensão de que relacionamento abre portas. É certo que não se chegou pelo motivo ideal, mas sim pela necessidade de ser indicado para um emprego ou para manter um, mas, de qualquer forma, o importante é que se passa a ter um cuidado com determinadas coisas que garantem nossa boa convivência.

Imagine a cena em que você chega ao seu trabalho pela manhã. Independente do ambiente que você encontre, se você der um oi por obrigação ou de cara amarrada, estará contribuindo para que algo de negativo chegue com você. Ainda mais, associará esta negatividade à sua chegada, seja pela sua instalação, seja pelo seu incremento.

Agora, na mesma situação, dê um oi alegre, carregado de sorriso e energia positiva, e não apenas observe, mas sinta a diferença. É uma situação bem simples, cotidiana, que pode ser expandida para dentro do ambiente familiar, amigos, profissão e tantos outros lugares. Atitude é o que muda os relacionamentos, não as intenções. Intenções sem execução não passam de intenções.

Distribua ois por aí, mas faça-o com vontade, com emoção e com a certeza de que realmente está fazendo isto para melhorar alguma coisa, mesmo que seja você mesmo; já será uma grande boa mudança. Do contrário, fique quieto, pois assim você minimiza os impactos do negativismo que já anda grande. Extremismo? Não mesmo, muito pelo contrário.

A questão é que sempre nos preocupamos em fazer as coisas, mas poucas vezes em como fazê-las. Pequenos termos, como oi e tchau, quando utilizados abrem e fecham portas mas, muito mais que isto, abrem e fecham caras, sorrisos, alegrias, chagas. Nunca duvide do poder que tem nas mãos, por mais que lhe pareça que a você não foi dado nada. Milagres são apenas ações boas na hora certa, e a hora certa não tem hora, quando a ação é boa.

Faça, cumprimente, relacione-se, e seja diferença em todo lugar que você entrar. Com o tempo, sua luz irá aumentar exponencialmente, ofuscando as manchas por onde passar. Tornar-se-á um foco tão brilhante de coisas boas, que, naturalmente, sem planejamento friamente calculado, será convidado a fazer parte de grupos, não somente profissionais, mas de seres humanos transformadores de toda a humanidade. Quando isto ocorrer, provavelmente não dirá apenas um oi, mas quem sabe um "como é bom revê-lo, meu irmão".

Nenhum comentário: