quarta-feira, 3 de outubro de 2007

Desafios

Alguém já lhe disse que dificuldade, assim como o calor, é algo psicológico!? Bom, deixando de lado as brincadeiras que acompanham esse tipo de comentário, é fato que geralmente nos subestimamos e aumentamos o grau de dificuldade das coisas, quando nos aparece um novo desafio; pelo menos a maioria de nós. A outra pequena parcela provavelmente está com a conta do banco cheia neste momento.

Temos as ferramentas, isto é fato! Por mais incompletos que pareçamos ser, seja isto significando algo físico, mental ou psicológico, já possuímos o necessário para os próximos passos, sejam eles quais forem. Como se diz, uma longa caminhada precisa sempre começar com o primeiro passo, não importando quantos sejam.

Lembro-me de um filme da Xuxa, apesar do exemplo não ser dos mais culturais, quando ela se depara com um muro enorme, impossível de ser transpassado. Com os conselhos de uma sábia lagarta (xixa), que era até engraçadinha, ela percebe que o muro era bem menor, sendo apenas uma questão de como analisar sua importância enquanto desafio a ser vencido.

Está certo, eu poderia ter usado algo mais elaborado, mas afinal de contas, o objetivo principal de um ensinamento é que ele seja aprendido, não importando tanto se o conteúdo diz respeito à bolsa de valores, aos ensinamentos filosóficos de um estilo de vida ou de uma simples lagartinha sorridente de um filme direcionado às crianças.

Temos o péssimo costume de exigir coisas elaboradas para ensinamentos complexos. Perde-se, assim, a essência simples das coisas, que residem em praticamente tudo. As crianças passam por ensinamentos de convívio social em um parquinho de diversões tão importantes e significativos quanto um relacionamento matrimonial na idade adulta.

E todo este preparo, anterior aos obstáculos que surgem, nos dá a certeza de que podemos dar o próximo passo. Machado de Assis foi autodidata, e apesar de isto significar uma ausência de educação formal, é ainda hoje lido com admiração por muitas mentes cultas e privilegiadas, estimulando discussões infindáveis sobre a essência de seus escritos.

Somos muito mais do que percebemos, pelo simples fato de que somos muito complexos para sermos compreendidos pelos menos de 5% que utilizamos do nosso cérebro. Assim sendo, não é preciso ter a certeza da tarefa completa, mas a confiança nos passos que serão iniciados.

Desafios aparecem o tempo inteiro e nos cabe decidir entre ficar olhando e dar o primeiro passo. Não se admire de forma invejosa dos que deram este passo e se deram bem. Nem tenha pena dos que o deram e não conseguiram ainda chegar ao fim, porque eles aprenderam muito e este amadurecimento tem um grande valor. Apenas faça o seu. Siga seu coração e ande, assim será motivo de orgulho e de crescimento, para si e exemplo para os outros.

Nenhum comentário: