terça-feira, 18 de setembro de 2007

Perseverança

Existe um péssimo costume das pessoas em geral, que é o de achar que a vida dos outros é sempre mais fácil, gerando reclamações constantes que são utilizadas como desculpas para os diversos obstáculos que precisam ser enfrentados ao longo do caminho. Diante disto, torna-se fácil encontrar pessoas com projetos inacabados; e não me excluo da lista.

Não gosto muito de fazer referências a fatos religiosos, devido à polêmica que quase sempre surge disto, mas, vou utilizar-me de uma figura cuja história praticamente todos conhecem ou já ouviram pelo menos pedaços. Jesus Cristo veio à Terra para uma coisa simples: mostrar como as coisas devem ser feitas da forma correta. Parece simplista, mas não é. Com seus exemplos, mostrou à sua geração e às vindouras como devemos nos portar para sermos bem sucedidos como seres humanos.

Mas me perguntarão: como ele mostrou ser bem sucedido se morreu na cruz, desprezado e humilhado? Ele veio transmitir sua mensagem e a transmitiu; e ela continua ecoando pelos séculos à frente. Mas o que isto tem a ver com perseverança? As caminhadas, os projetos e tantas outras coisas que tenham começo, meio e fim, possuem obstáculos. Um relacionamento, um curso de graduação, este blog, a vida. Tudo isto, assim como mostrou Jesus, tem um propósito e nos leva a aceitar determinadas coisas como são, mudar outras e, principalmente, não desistir.

Quando começamos um projeto, na empolgação do momento, nos esquecemos de analisar as dificuldades vindouras. Preparamo-nos para as glórias, mas esquecemos de nos tornarmos fortes para os períodos de vacas magras, que, com toda a certeza, virão. Não se trata de riquezas materiais, como dinheiro, pois já está provado, por exemplo, que o capital mais importante de uma empresa não é o monetário, mas sim o humano.

Para que consigamos ser perseverantes precisamos cultivar características pessoais, como auto-confiança e paciência, além de nos livrarmos de chagas como o orgulho. Aprender a perder é algo que nos ensina a conquistar tudo. A humildade necessária para que consigamos assumir os erros cometidos, nos dá a sapiência necessária e imperativa, para que possamos um dia merecer o melhor e chegar ao objetivo proposto.

Vivemos em um país cujo povo não desiste nunca mas que não percebe que poderia ser melhor, caso perseverasse na busca pelo final das coisas que começa. A mortalidade empresarial no Brasil é exemplo disto, pois é mais fácil desistir e assumir o prejuízo, a continuar buscando soluções, desenvolvendo caminhos novos e aprimorando-se profissionalmente e como seres humanos.

Perseverar não é apenas não desistir, mas significa continuar de forma inteligente. Façamos como o Cristo, que trilhou seus planos sabendo das dificuldades, sem medo das interpéries, buscando as experiências que lhe dessem o suporte necessário para lhe fornecer não a crucificação, mas a ascensão aos céus. Começo, meio e fim; como tudo. Com certeza estamos no meio e o desfecho, este está eem nossas mãos.

Um comentário:

Sarah disse...

...continuar de forma inteligente... Esta frase merece cotinuidade! Vai ser interessante...