quinta-feira, 20 de setembro de 2007

Motivos

Oportunidades surgem todos os dias, para que possamos escolher entre desenvolver projetos, sonhos novos e antigos, ou não. As mais variadas situações, que vão desde o primeiro passo e a primeira palavra de uma criança, até a decisão por coisas mais complexas e que exigem maturidade, responsabilidade e uma posição firme diante das conseqüências, como um matrimônio, a abertura de uma empresa ou a decisão de ser pai ou mãe.

Em grande parte destas ocasiões, nos deixamos levar pelas emoções, sem realmente refletirmos sobre os reais motivos que nos levam a tomar atitudes. Abrir uma empresa para realização pessoal ou apenas por dinheiro? Será que a empolgação inicial sobreviveria nos momentos difíceis? Começar um casamento por tesão e paixão não seria equivalente a iniciar uma trajetória mais árdua quando o tempo for implacável aos sentidos físicos?

Não nos preocupamos tanto com os motivos, as razões reais que nos levam a tomar atitudes. Na verdade o fazemos na maioria dos casos inconscientemente e, assim, nos deixamos levar mais pelas emoções momentâneas, gerando dissabores futuros. Diz-se que a curiosidade matou o gato, continuando a matar muitos por aí, que assumem riscos e compromissos apenas para ter uma idéia de como é uma sensação nova.

Pensar sobre o que nos leva a fazer as coisas é o primeiro passo para tomar as decisões corretas. Tome uma atitude, mas na certeza de que o motivo não é algo tão efêmero quanto o tesão físico. As coisas complexas, assim como as aparentemente simples, cobrarão seu preço com o passar do tempo; será que empolgação apenas será suficiente para nos manter fortes?

Motivos, razões, certezas que nos fazem seguir em frente, na certeza do incerto, porque o que está à nossa frente não pode ser determinado com exatidão. Abra uma empresa, case-se, dê o primeiro passo e a primeira palavra, mas deixe que o motivo seja maior. Aprender que sonhos não precisam permanecer sonhos eternos nos dá a força para acreditar que podemos ser grandes, independente de quantos à nossa volta não acreditem nisto!

Motivos são como sonhos, pois são individuais e difíceis de serem entendidos ou explicados. Motivos levam pessoas a criar, a desenvolver melhorias e a ficarem parados esperando a próxima oportunidade. São impulsos interiores que dão a certeza de que é possível superar tudo, se o motivo é puro o bastante para não se perder quando a magia do sonho passar e o mundo surgir aos olhos, após o despertar.

Somente uma pessoa possui a capacidade de mudar e anular motivos, de julgá-los impróprios ou incompletos. Apenas nós mesmos podemos invalidar ou não os nossos próprios motivos. Por isto, mesmo que ninguém à sua volta entenda, se você consegue vê-lo de forma clara, planejada, embasada, com possibilidades concretas de realização, decida-se pelo seu motivo, mas ciente de que os obstáculos estarão presentes, não como pontos de fracasso, mas como degraus para um desenvolvimento.

Aos motivos que nos trouxeram até aqui, adicionemos os motivos que nos manterão firmes para finalizarmos o que começamos. Coloquemos no peito a certeza de algo que possa valer a pena, lutando pelos nossos ideais. Motivos não precisam ser compreendidos pelos outros se nos derem a certeza necessária para chegarmos ao topo. Façamos dos nossos motivos reflexos de nosso todo complexo e, com certeza, alcançaremos tudo o que nos propusermos.

Nenhum comentário: