segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Caminhada

O primeiro passo e a jornada começa. Tal qual uma criança, ignorante sobre os detalhes da vida, seguimos deslumbrados, sem consciência de para onde vamos, porque vamos e quem nos acompanha, certos apenas de que o fim do caminho reserva uma recompensa boa.

A cada passo uma história, e vamos nos tornando mais sábios, entendendo melhor nós mesmos. Passamos a compreender que não apenas vamos pelo caminho, mas nos tornamos parte dele, compondo o sistema de influências que dá o ambiente necessário para que as flores cresçam, os animais sobrevivam e para que nossos companheiros de caminhada não se percam e não fiquem para trás. Eles também chegarão, mas os queremos perto.

Continuamos a conhecer o ambiente, mas vez ou outra aprendemos pela dor; espinhos desconhecidos, buracos imprevistos e animais, tão belos, verdadeiras feras que podem nos atrasar muito. Escolhemos pela curiosidade ou observação, pela experimentação indevida, inclusive do que já conhecemos, e assim vamos crescendo, sofrendo as conseqüências de nós mesmos.

Os que nos acompanham já viraram mestres e discípulos; aprendizes do caminho, de si mesmos e do resto, e assim seguimos juntos. A ignorância inicial aos poucos dá lugar à beleza de se compreender o porque o caminho é ao mesmo tempo belo e perigoso, pois isto nos fornece a força necessária para chegarmos ao fim. Entendemos que, como se diz, o que não nos mata realmente nos fortalece, e nesta força por muitas vezes carregamos os amigos de caminhada, agora irmãos, por longo período; e isto nos trás a paz.

O fim ainda requer longos passos, longos dias e noites, longas e proveitosas experiencias. Alguns que começaram juntos de nós e mesmo antes já chegaram, e agora cumprem seu papel de auxílio aos que estão indo. Continuamos, cada vez mais maduros e com uma bagagem cada vez maior, agora cientes de que realmente algo bom nos espera, mas que o caminho não apenas nos ensina, mas nos permite ensinar; e ajudar.

E a caminhada, que às vezes parece infinita, e às vezes, pela ignorância do começo, a alguns nem parece nada, vai se tornando tão nítida quanto um quadro real, pintado pela natureza e que nos deixa perplexos, extasiados pelo quão pequenos somos e pelo quão pouco sabemos, entendemos e compreendemos de tudo isto, de tudo o que compõe nossa edificante caminhada, cuja única e interior certeza, é de um bom final, onde nos encontraremos com os companheiros do caminho.

Nenhum comentário: