quinta-feira, 23 de agosto de 2007

Vitórias

O que é realmente importante? Desde pequeno tenho presenciado conquistas minhas e conquistas alheias. Alguns momentos nos parecem tão comuns, mas podem ser tudo para alguém. Um casamento, uma formatura, uma recuperação de um acidente. Acidentes, inclusive, geralmente levam a uma mudança de foco, mostrando que coisas simples podem fazer falta, como o movimento de um membro do corpo, que pode nos parecer algo banal.

Vitórias são conquistas positivas, dentro da ótica do seu personagem vitorioso. Algumas nos dão um prazer de realização social, porque somos levados a mostrar que somos capazes de alcançar algo, como um emprego, a compra de uma casa ou mesmo encontrar alguém para casar. São as moedas que temos que pagar pela vida em conjunto, mas isto apenas se quisermos pertencer ao padrão criado pela sociedade.

Outras conquistas são de prazeres pessoais, o que explica o fato de alguns terem tudo, mas se sentirem incompletos, como se faltasse ainda alcançar algo. Somos doutrinados desde cedo a um comportamento aceitável, mas ele nem sempre se traduz nos nossos anseios, nos nossos sonhos. Para muitos é preciso romper barreiras de comportamento para se chegar ao ideal, àquilo que nos completa, passando por cima dos preconceitos e dos julgamentos de pessoas que, assim como a maioria, continua enclausurada no molde social; às vezes como nós mesmos.

Essas vitórias são mais difíceis de se conseguir, mas somente no começo. É preciso tratar a mente, o corpo, os sentimentos, de forma que o nosso todo entenda que não somos obrigados a pensar como o resto, a ser como o resto e a conquistar as mesmas coisas que todos. Dedicar-se à vocação é algo muitas vezes mencionado quando se fala em carreira profissional, mas que deveria, sempre, ser aplicado ao pessoal.

Casar-se é ótimo, mas o tempo leva a alegria das núpcias quando não se consegue entender que foi apenas uma vitória entre tantas que precisam ser cultivadas. Vitórias não são momentos que se congelam no tempo; estão mais para gráficos de produtividade, cuja linha de máximo precisa ser mantida com ações no decorrer do processo. Altos e baixos nos levam a crer que as conquistas são breves, a não ser que compreendamos que os baixos são o labor necessário para o regozijo dos altos.

Vitórias são pessoais, vitórias são únicas. Entenda-se primeiro quanto às coisas que lhe agradam. Preocupe-se em alcançar o que lhe brilha os olhos. Dinheiro? Status? Apresentação social? Tudo virá como conseqüência se for feito com empenho, com prazer e com a certeza de que a vitória não será passageira, mas sim uma constante de conquistas maravilhosas, que servirão de impulso nos momentos em que prevalecer o suor, rumo aos momentos das lágrimas de felicidade.

Nenhum comentário: