sexta-feira, 3 de agosto de 2007

Planejamento

"se você não sabe para onde está indo, qualquer caminho serve" (Shakespeare). A maioria das pessoas não sabe o que quer ter em alguns anos. Não tem idéia das coisas que quer corrigir e conquistar, e vai deixando a vida levar, como se aquele dito popular que nos faz acreditar que as coisas já estavam traçadas fosse verdade.


Existem vários caminhos para se chegar ao mesmo lugar, uns mais fáceis, outros nem tanto, mas todos tem seus benefícios e seus obstáculos. Como definir qual seguir? Se hoje aparece uma oportunidade imperdível de emprego, será que ela seria tão imperdível para você quanto para a pessoa ao seu lado? O que você valoriza? Família, tranquilidade e qualidade de vida está associada para você a ter um tempo livre para fazer as coisas que gosta? Se for, uma oportunidade imperdível na área comercial provavelmente será dispensável.

Planejar significa estruturar ações de forma antecipada, definir metas e objetivos que serão colocados em prática para se chegar a um final. Mas nenhum planejamento é definitivo, simplesmente pelo fato de que as coisas mudam; é preciso atualizá-lo. Definindo um caminho a ser seguido, fica mais simples tomar decisões importantes, pois neste caso existem parâmetros de análise, que permitem que as escolhas sejam feitas de forma racional e não, por exemplo, com base no valor aparente do salário de uma "proposta imperdível".

As pessoas têm valores diferentes e dão às mesmas coisas, graus de importância distintos. Não se pode querer que todos, portanto, queiram as mesmas coisas, razão pela qual uma orientação sobre uma nova idéia deve ser feita de forma a procurar na pessoa o que ela acha importante. Seríamos péssimos conselheiros se o fizéssemos com base nas nossas próprias preferências, como fazem muitos pais que, na tentativa de escolher "o melhor para seus filhos", acabam levando alguém com vocação para letras ao ramo da engenharia. A probabilidade de fracasso será grande.

Devemos planejar sim, mas com racionalidade. Levante os objetivos, analise o que você valoriza e não abre mão, para só então definir como estará disposto a tomar os melhores caminhos. Isto vale para novos negócios, relacionamentos, planos de crescimento pessoal e profissional. Sem uma organização pessoal mínima, dentro dos padrões de organização de cada um, será muito mais difícil alcançar a "boa idade" dos nossos sonhos.

Eu não quero muito, mas o muito para mim pode se tornar impossível dependendo de como forem desenrolados os obstáculos que surgirem. Estar preparado é uma questão de escolha antecipada, porque, como diz o ditado, com uma ligeira modificação, "não adianta chorar pelo leite já mamado".

Nenhum comentário: