terça-feira, 21 de agosto de 2007

Essência

Somos individuais, por mais que pareçamos iguais. Somos únicos, mesmo que inseridos em uma massa de atitudes e costumes comuns. Temos em nós uma parte quase imutável, que nos caracteriza como únicos, geralmente restrita ao conhecimento de poucos, pois a maioria ainda não está preparada para nos conhecer por completo. Nossa essência nos caracteriza, garante nossos ideais, sustenta nossos sonhos em um mundo em que tudo pareceria perdido, não fosse a certeza que temos no que acreditamos em nosso íntimo.

Não jogue pérolas aos porcos, o que inclui não mostrar o melhor para quem não o valoriza ou para quem não está preparado para ele. Mas este pensamento tem uma falha, porque, se o melhor for bom, porque ocultá-lo? Nem todos estão preparados para nos conhecer em nossa essência, mesmo porque não nos compreenderíam. Nossa individualidade é algo tão pessoal, que com certeza nem mesmo nossos pais, ou as pessoas que nos criaram, conseguem entender o que se passa em nossos devaneios rumo a um estágio que consideramos o ideal.

Não devemos gastar nossos esforços no convencimento de que o mundo pode ser bom como imaginamos, também porque podemos não estar certos. Diz-se que existem muitas coisas ainda incompreendidas para os seres humanos e, neste caso, quem seria perfeito o bastante para se julgar o dono da verdade? O meu melhor, motivo de todos os meus empreendimentos, não desperta o mesmo brilho nos olhos dos outros; não de todos. Guardá-lo para mim é um imperativo que pode garantir com que meus sonhos sejam possíveis.

Mas como deixar de espalhar o que parece tão bom!? Não é preciso! Basta que nos lembremos que existem limites que, quando ultrapassados, ferem os limites alheios. Um professor geralmente possui mais de uma forma de explicar a mesma matéria, porque a compreensão de diversos alunos não é a mesma! Assim coloquemos nosso melhor, sem imposição, sem verdades absolutas, de formas distintas para cada um, preservando a essência.

Um bolo de morango não perde seu sabor de morango em função de sua estética. Um homem não perde sua essência quando o exterior já não espelha a juventude externa. Assim também podemos ser exploradores do nosso melhor, lapidando nosso íntimo para que sejamos perfeitos um dia, preservando o mundo do nosso orgulho em estarmos sempre certos. Nem todos estão prontos para a verdade, seja ela qual for. Respeitemos os limites alheios, assim como esperamos que façam conosco.

Propaguemos boas ações, pois elas falam por si. Não é preciso expor idéias e pontos de vista imutáveis, com a ansia de convencer todo o mundo. Espelhe seu interior em suas ações e as palavras não serão necessárias. Falar sobre alegria é tão fácil quando sorrir, mas o que fica na memória são os sorrisos, não os conceitos. Quer mostrar que paciência é importante? Seja paciente! Quer mostrar a importância do positivismo? Seja positivo! Quer que todos a sua volta estejam alegres e sorrindo? Sorria! E quando eu morrer, por favor, façam festa! Porque o mundo precisa de lágrimas, mas de felicidade!

Nenhum comentário: