quarta-feira, 25 de julho de 2007

Responsabilidade e exemplo

Dizem que temos que fazer as coisas de forma correta para dar exemplo às crianças. Não fume, não beba, não fale palavrão perto de uma criança, pois ela aprende rápido! Seria apenas perto delas? Até onde se propagam nossas atitudes? O simples fato de sermos considerados por alguém nos atribui uma carga de importância, tornando-nos um modelo a ser seguido, assim como os professores para os seus alunos.

Os "bons" líderes geralmente arrastam mutidões. Bons entre aspas, porque nem sempre eles utilizam suas qualidades para o bem, como aconteceu com Hitler; mas ele foi seguido. Gandhi teve vários seguidores, assim como Martin Luther King. Mesmo os políticos do nosso país, com todos os seus erros, atraem admiradores. E neste ponto é fácil perceber a importância de ser exemplo positivo, quando nos revoltamos com um deslize, intensional ou não.

Depositamos nossas esperanças em alguém, por achar que determinada pessoa possa ser mais preparada que nós mesmos em determinado assunto. O comodismo humano, entretanto, faz com que não percebamos que temos o dever de nos melhorarmos, assim como de não acreditar em verdades imutáveis e pessoas perfeitas, pelo menos na Terra.

Você é formado? Com certeza será um exemplo na área que formou para os seus pais, a não ser que eles sejam formados na mesma coisa antes de você. É mais velho? Será um caminho a ser seguido pelos mais novos. Tem facilidade de falar? Cuidado! Suas palavras ecoarão talvez pelos séculos vindouros.

Existe uma frase que se propagou, vinda dos gibis e encenada nas grandes telas, no filme Homem Aranha: "quanto maior o dom, maior a responsabilidade". O dom de orientar as pessoas é tão importante quanto qualquer outro, por isto cuidado com o que você tem passado como importante para alguém, pois sua responsabilidade pelos atos de terceiros talvez seja maior do que você pensa, afinal de contas, era você quem tinha consciência das informações que estava transmitindo.

Nenhum comentário: